Conquista Urgente

Conquista Urgente


Resultado da busca pela categoria "policial"

Operação conjunta apreende 300 kg de maconha na Bahia

Segunda | 07.08.2017 | 10h21
Autor: LeiaMais.Ba


Foto: Reprodução

Policiais Militares, Civis e Federais prenderam três homens por tráfico de drogas e apreenderam 300 kg de entorpecentes, além de material usado para preparo da droga, durante uma operação conjunta nesse sábado (5/8), em Ubaitaba. Realizando ronda na região perto do entroncamento de Ubatã, as guarnições interceptaram dois homens que estavam num veículo Fiat Siena, levando aproximadamente 60 kg de maconha. Em busca de mais envolvidos os policiais abordaram o veículo Fiat Palio, no carro havia a quantidade de 20 Kg de maconha transportado por outro suspeito. As equipes de polícia receberam informações dos custodiados que em duas fazendas, localizadas na região de Cachoeira Bonita, teriam mais drogas e ao chegar à localidade foram encontradas mais 3 kg de pasta base de cocaína; 220 kg de maconha; uma quantidade de maisena; bicarbonato de sódio; uma balança digital e uma prensa hidráulica, utilizada na produção da droga. O material e os conduzidos foram apresentados na Delegacia Territorial de Ilhéus.

Lava Jato prende ex-secretário de Eduardo Paes

Quinta | 03.08.2017 | 17h11
Autor: LeiaMais-Ba


Foto: Reprodução

A Polícia Federal cumpre mandados na manhã desta quinta-feira, 3, em mais um desdobramento da Operação Lava Jato no Rio. Foi preso em sua casa, na zona oeste da capital fluminense, Alexandre Pinto, ex-secretário de Obras do prefeito gestão Eduardo Paes (PMDB).  A investigação da força-tarefa do Ministério Público Federal, no Rio, mira fraudes praticadas na gestão municipal nesta nova fase da operação. No dia 25 de julho, o Conselho Superior do Ministério Público Federal prorrogou por mais seis meses a atuação dos procuradores da Lava Jato no Rio. A medida começou a valer a partir de 9 de junho deste ano. Os procuradores vão continuar se dedicando exclusivamente às investigações sobre corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A Lava Jato, no Rio, já havia se debruçado sobre desvios na Eletronuclear e na administração do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB).

PGR decide apurar suposto envolvimento de 199 políticos com 'farra das passagens'

Domingo | 30.07.2017 | 10h09


Foto: Reprodução

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, informou ao Supremo Tribunal Federal que vai instaurar uma "notícia de fato" (procedimento interno de investigação preliminar) para apurar se há indícios do envolvimento de 199 políticos com foro privilegiado no STF com o caso conhecido como "farra das passagens aéreas". São deputados federais, senadores, ministros de Estado e ministros do Tribunal de Contas da União (TCU) que já foram parlamentares. O caso envolve suspeitas de que, entre 2005 e 2009, deputados negociavam com agências de viagens passagens da cota parlamentar. Esses deputados estariam usando a cota para viagens de parentes e amigos. O escândalo foi revelado em março de 2009 pelo site Congresso em Foco. Depois disso, o então presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), que havia assumido o cargo em fevereiro, anunciou mudanças no uso das passagens, restringindo viagens internacionais e limitando o benefício a parlamentares e assessores. Um inquérito específico em relação a alguns deputados – aberto em 2005 – foi arquivado pelo Supremo, em 2016. Além disso, indícios relativos a pessoas sem foro privilegiado foram enviados ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1). No mesmo procedimento, a Procuradoria da República na 1ª Região denunciou, no fim do ano passado, 443 ex-deputados pelo crime de peculato (desvio de dinheiro público) e remeteu ao Supremo uma lista com 212 nomes de pessoas suspeitas de envolvimento que têm foro privilegiado.

PRF apreende droga em ônibus na Br-116 em Vitória da Conquista

Sábado | 29.07.2017 | 10h08


Foto: Reprodução/PRF

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu cerca de 2.485 pinos de cocaína durante uma abordagem realizada na madrugada desta quinta-feira (27), em um trecho da BR-116, no município de Vitória da Conquista, no sudoeste baiano. De acordo com a polícia, a droga foi encontrada dentro de uma mochila, no compartimento de bagagem de um ônibus coletivo que viajava de São Paulo para Petrolina (PE). Ainda, de acordo com a PRF, apesar de todos os 21 passageiros, terem sido abordados não foi possível identificar o responsável pela bagagem. Além dos pinos, que pesavam cerca de 2 quilos de cocaína, foi encontrada uma quantidade de crack, pesando 500 gramas. A droga foi apresentada a uma Delegacia de Vitória da Conquista.

PF prende ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil em fase da Lava Jato

Quinta | 27.07.2017 | 10h03
Autor: G1


Foto: Reprodução

O ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobras Aldemir Bendine foi preso na 42ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada pela Polícia Federal (PF) nesta quinta-feira (27) no Distrito Federal, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo. Suspeito de receber R$ 3 milhões da Odebrecht, Bendine foi preso em Sorocaba (SP). A ação foi batizada de Cobra. A PF prendeu outras duas pessoas, que são suspeitas de operar a propina da empreiteira para Bendine: os irmãos André Gustavo Vieira da Silva e Antônio Carlos Vieira da Silva Júnior, sócios em uma agência de publicidade, a Arcos Propaganda. Eles foram presos no Recife. O Ministério Público Federal (MPF) afirma que, quando comandava o Banco do Brasil, Bendine pediu R$ 17 milhões à Odebrecht para rolar uma dívida da empresa com a instituição, mas não recebeu o valor. Na véspera de assumir a Petrobras, pediu mais R$ 3 milhões para não prejudicar os contratos da estatal com a empreiteira. O valor foi pago em 2015. Naquele ano, Bendine era braço direito da então presidente Dilma Rousseff. E havia deixado o banco com a missão de acabar com a corrupção na petroleira, alvo da Lava Jato. Mas, segundo delatores da Odebrecht, ele já cobrava propina no Banco do Brasil e continuou cobrando na Petrobras.

Polícia Federal cumpre operação contra pedofilia na Bahia em mais 13 estados

Terça | 25.07.2017 | 10h00
Autor: G1


Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal (PF) está nas ruas desde as primeiras horas desta terça-feira (25) para cumprir a segunda fase da Operação Glasnost, que investiga exploração sexual de crianças e o compartilhamento de pornografia infantil na internet. A ação cumpre mandados em 51 cidades de 14 estados brasileiros. Foram expedidos três mandados de prisão preventiva, 72 de busca e apreensão e dois de condução coercitiva, que é quando a pessoa é levada para prestar depoimento. Até as 7h50, 11 pessoas tinham sido presas, sendo oito em flagrante e três preventivas. As preventivas foram cumpridas em Paranapanema e Guarujá, em São Paulo, e Santarém, no Pará. Segundo a PF, a investigação teve como base o monitoramento de um site russo utilizado como uma espécie de “ponto de encontro” de pedófilos do mundo todo. Os investigados produziam e armazenavam fotos e vídeos de crianças, adolescentes e até mesmo de bebês com poucos meses de vida, muitos deles sendo abusados sexualmente por adultos, e as enviavam para contatos no Brasil e no exterior. As ordens judiciais estão sendo cumpridas no Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Ceará, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Piauí, Pará e Sergipe. A PF disse ainda que as investigações resultaram na identificação de centenas de usuários, brasileiros e estrangeiros, que compartilhavam pornografia infantil na internet, bem como de diversos abusadores sexuais e produtores de pornografia infantil, tendo sido identificadas, ainda, diversas crianças vítimas de abuso.

PF diz que Sarney, Jucá e Renan não obstruíram a Lava Jato

Sábado | 22.07.2017 | 08h17
Autor: LeiaMais.Ba


Foto: Reprodução

A Polícia Federal concluiu que o ex-presidente José Sarney e os senadores Romero Jucá (RR) e Renan Calheiros (AL), caciques do PMDB, não tentaram barrar a Operação Lava Jato. Em relatório ao Supremo Tribunal Federal (STF) sobre os áudios entregues pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, que gravou conversas com Sarney, Jucá e Renan, a PF sustenta que não há como comprovar o cometimento de crimes por parte do ex-presidente e dos senadores. Nas reuniões com Machado - que fez delação premiada e ficou livre da prisão -, o tema predominante era o avanço da Lava Jato Segundo a PF, "intenção" não é obstrução de Justiça. A informação foi divulgada pelo repórter Marcelo Cosme, da Globo News, e confirmada pela reportagem do jornal O Estado de S. Paulo. No relatório ao Supremo, a PF sugere um estudo mais aprofundado sobre os benefícios concedidos a Machado com a colaboração.

Bahia: Falso dentista é preso em flagrante em ação do CRO-BA e da Polícia Militar

Quarta | 19.07.2017 | 14h00


Foto: Reprodução

Um homem foi preso em flagrante nesta terça-feira (18/07), acusado de exercer ilegalmente a profissão de dentista, durante uma ação conjunta do Conselho Regional de Odontologia da Bahia (CRO-BA) e da Polícia Militar, no município de Urandi (BA). De acordo com informações do site Sudoeste Bahia, Eudes Machado da Palma, 41 anos, foi flagrado no referido local onde prestava o atendimento clandestino aos pacientes. Conforme o Boletim de Ocorrência (BO), no prédio onde funcionava o consultório, a polícia encontrou diversos materiais e equipamentos usados para o trabalho odontológico. No momento da prisão não havia nenhum paciente no consultório. O acusado foi levado para a sede da Delegacia Territorial de Urandi. Segundo o conselho, o detido confessou que já atuava há mais de 10 anos como dentista, mas não tinha diploma, formação técnica ou registro no Conselho Regional. Ele vai responder criminalmente pelo exercício ilegal da profissão de odontologia. Caso seja condenado, pode pegar de seis meses a dois anos de prisão/ Por Sudoeste Bahia.

Palmas de Monte Alto: Jovem é detido após furtar objetos dentro de pelotão da PM

Terça | 18.07.2017 | 17h18
Autor: Sudoeste Bahia


Foto: Reprodução

Lucas de Souza Santos, 20 anos de idade, foi detido por policiais militares e teve que se explicar após ser apontado como suspeito de furto dentro do pelotão da Polícia Militar (PM), no município de Palmas de Monte alto. De acordo com informações da PM, na madrugada de sábado (15/07), os policiais se deslocaram para atender uma ocorrência na Praça da Igreja, momento em que o referido se aproveitou para adentrar na unidade e furtar um carregador de Pistola e R$ 68 (sessenta e oito reais), quantia esta que estava dentro da carteira de um dos policiais que estava em serviço. Ao retornarem da diligência, o policial não encontrou sua carteira, vindo a achá-la debaixo do colchão.  Como perceberam que algo estranho havia acontecido, os militares saíram para realizar buscas nas imediações e localizar o suspeito. Lucas foi então visualizado nas proximidades, mas fugiu logo após perceber a presença da guarnição, abandonando na fuga um carregador de pistola. Ele adentrou em um matagal, mas foi localizado e confessou ter furtado o carregador e a referida quantia em dinheiro. Ele alegou ter entrado no órgão após pular o muro e, afirmou que a intenção seria apenas retirar a sua motocicleta que está apreendida. A ocorrência foi registrada na Delegacia Territorial de Palmas de Monte Alto.

Polícia Federal envia ao STF relatório de investigação sobre Temer

Terça | 27.06.2017 | 08h01
Autor: G1


Foto: Reprodução

A Polícia Federal enviou nesta segunda-feira (26) ao Supremo Tribunal Federal (STF) novo relatório da investigação sobre o presidente Michel Temer. O documento contém conclusões dos investigadores sobre suspeitas levantadas contra o presidente a partir da delação da JBS. Um relatório parcial da PF, sobre corrupção passiva, já havia sido enviado na semana passada, mas a polícia ainda precisava concluir as investigações sobre o crime de obstrução de Justiça. Isso porque os investigadores queriam concluir a perícia técnica da gravação feita pelo empresário Joesley Batista de uma conversa com Temer. O laudo apontou que não houve edição no material, conforme argumenta a defesa do presidente. Segundo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Temer e o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) agiram em conjunto para barrar as investigações da Operação Lava Jato. Ainda de acordo com o Ministério Público Federal, o presidente deu "anuência" ao repasse de dinheiro, pela JBS, a Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para que o deputado cassado não feche acordo de delação premiada. Desde que as delações da JBS se tornaram públicas, o presidente tem rebatido todas as acusações e dito que não atuou para beneficiar a JBS e nem teme delação premiada. Além disso, Temer processou Joesley Batista, dono da JBS, por calúnia, injúria e difamação.

Médicos envolvidos em golpe do falso glaucoma podem ser cassados, diz CRM

Segunda | 26.06.2017 | 13h02
Autor: G1


Foto: Ilustração

O Conselho Regional de Medicina (CRM) de Alagoas informou nesta segunda-feira (26) que vai solicitar à Polícia Federal (PF) cópia do inquérito sobre o grupo que dava diagnósticos falsos de glaucoma para fraudar recursos da saúde. O presidente do Conselho, Fernando Pedrosa, disse que os médicos envolvidos no esquema podem ter o registro profissional cassado. Quatro suspeitos foram presos em uma operação deflagrada no dia 13 deste mês e liberados dias depois. Entre eles está o médico André Born, que já foi secretário adjunto da Saúde em Maceió e ocupou cargos no Ministério da Saúde em 2016. Os nomes dos outros não foram divulgados. As investigações apontam que a quadrilha agia, além de Alagoas, na Bahia, em Sergipe e Goiás e desviou em torno de R$ 30 milhões da saúde pública. O paciente recebia um diagnóstico falso de glaucoma e era orientado a usar colírios. Pedrosa falou que é preciso ter provas para poder avaliar a situação dos profissionais. “Se for comprovado [o crime], haverá a aplicação de penalidades do Conselho, que vai de uma advertência até a cassação do registro médico”, informou o presidente, ao dizer que no caso de punições, o médico terá o direito de defesa.

Polícia civil de Brumado prende fugitivo do presídio de Vitória da Conquista

Sexta | 02.06.2017 | 09h08
Autor: Conquista Urgente


Foto: Reprodução

Uma equipe de Investigadores da Polícia Civil (20ª COORPIN) obteve êxito em localizar e prender, no centro da cidade de Brumado um presidiário fugitivo do presídio Nilton Gonçalves de Vitória da Conquista. O homem de 41 anos, foi condenado por tráfico de drogas havia saído do presídio pelo benefício da saída temporária de Páscoa e não mais retornou. Em 2012 ele foi preso em uma operação conjunta das Polícias Civil e Militar, na cidade em Brumado, quando fora flagrado com um tablete e várias trouxinhas de maconha, bem como a quantia de R$ 558. Vale salientar que na ocasião de sua prisão em 2012, ele também se encontrava evadido do sistema prisional e possuía contra si mandado de prisão em aberto, também pela prática do crime de tráfico de drogas. Ele deve ser recambiado para o presídio Nilton Gonçalves nos próximos dias. Este caso se repete, pois é o segundo evasor do sistema prisional recapturado nesta semana pela Polícia Civil de Brumado.

Delegado que abriu inquérito sobre Teori Zavascki é morto

Quarta | 31.05.2017 | 14h00
Autor: Veja


Foto: Reprodução

O delegado Adriano Antônio Soares, da Polícia Federal do Rio de Janeiro, foi assassinado na madrugada desta quarta-feira em Florianópolis, após troca de tiros em uma casa noturna na capital catarinense. Soares foi o responsável pela abertura de inquérito para apurar a morte do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), falecido na queda de um avião em janeiro. O delegado e o colega Elias Escobar estavam em Santa Catarina para participar de um curso de capacitação interna da Polícia Federal. Após a abertura da investigação sobre a morte de Teori, colocada por Adriano Soares sob sigilo, esta foi transferida para Brasília, presidida por outro delegado. Soares chefiava a delegacia de polícia em Angra dos Reis e Escobar, em Niteroi, ambas no litoral fluminense. Responsável pela investigação, o delegado Ênio de Oliveira Mattos aponta que o conflito se iniciou com “uma discussão banal que evoluiu para troca de tiros” entre os dois agentes e uma terceira pessoa, que encontra-se internada.

Temer tem inquérito aberto e é novo réu na Lava-jato

Quinta | 18.05.2017 | 15h00
Autor: Brumado Urgente


Foto: Reprodução

Já é nacionalmente conhecida a notícia de que o presidente Michel Temer (PMDB) foi oficialmente incluído no processo da Lava-jato. A autorização partiu do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), na tarde desta quinta-feira. O pedido de investigação foi feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR). A legislação brasileira estabelece que um presidente da República só pode ser investigado em casos de irregularidades cometidas durante o exercício do mandato e com autorização do STF. Temer foi implicado na delação feita pelo empresário Joesley Batista, um dos donos do grupo JBS - controlador da Friboi. Segundo informações divulgadas pelo jornal O Globo nesta quarta-feira (17), o empresário gravou o presidente dando aval para a compra do silêncio do ex-presidente da Câmara de Deputados, Eduardo Cunha, preso em Curitiba. A delação de Batista foi homologada por Fachin e o sigilo das investigações pode ser levantado nas próximas horas. Com a decisão de Fachin, Temer passa formalmente à condição de investigado na Operação Lava Jato. Diante de tais acusações o Presidente poderá dar falar ao público ainda hoje em pronunciamento ainda esta tarde.

Irmã e primo de Aécio são presos pela PF

Quinta | 18.05.2017 | 12h00
Autor: VEJA


Foto: Reprodução

Andrea Neves, irmã de Neves, foi presa na manhã desta quinta-feira em Belo Horizonte acusada de pedir dinheiro para Joesley Batista em nome do irmão – que recebeu 2 milhões de reais do empresário em entrega filmada e registrada. O dinheiro foi dada a um primo de Aécio, que também foi preso preventivamente pela Polícia Federal. Frederico Pacheco de Medeiros, conhecido como Fred, teria sido filmado recebendo 2 milhões de reais a mando de Joesley Batista. Além deles, Menderson Souza Lima, assessor do senador Zezé Perrela (PMDB-MG) também foi preso. Todos foram citados na delação de Joesley Batista. Em todos os casos os mandados são de prisão preventiva e foram autorizados pelo STF (Supremo Tribunal Federal).